LIVRO
Angela Lange
Agenda de Cursos
Cursos
Especialização
Consultoria
Fotos
Parceiros
Aconteceu
Contato
Cadastro
BLOG
Revista
   
 

EFEITOS COMPARATIVOS ENTRE A APLICAÇÃO DE ELETROTERAPIA E MEDICAÇÃO NO TRATAMENTO DE ESTRIAS

NÊS ALMANSA VINADÉ, KAREN SILVA DE OLIVEIRA, TAMIRES DOS REIS BORGES ............................................................................................................................................
Keywords: Stretch. Electrotherapy. Retinoic acid.    

RESUMO
A importância dada à aparência física, principalmente pela mídia, é notória nos atuais dias, levando assim a uma busca incessante por corpos perfeitos. O ideal de um corpo magro e belo do ponto de vista estético nem sempre é alcançado, e isso leva muitas pessoas a um grande desconforto e à procura constantes tratamentos. Grandes investimentos na área da Fisioterapia são propostos na área de eletroterapia com aparelhos modernos e efetivos. As estrias são alterações cutâneas indesejáveis, definidas como cicatrizes lineares visíveis que se dispõem paralelamente umas as outras, podendo ser raras ou numerosas e indicam uma lesão na pele, pois ocorre um desequilíbrio elástico localizado. Há evidências que o seu aparecimento seja multifatorial, não somente fatores mecânicos e endocrinológicos, mas também 2 Tratamento de Estrias predisposição genética e familiar. A maior incidência se dá no gênero feminino em idade entre 12 e 14 anos, e, em meninos de 12 e 15 anos. Neste sentido o presente estudo teve como objetivo a comparação entre os efeitos da eletroterapia conjugada a vitamina C e do ácido retinóico na redução das cicatrizes lineares das estrias. Foram selecionados 6 indivíduos do sexo feminino, com idade entre 16 e 30 anos, de raça branca e portadores de estrias na região do culote. Os participantes foram divididos aleatoriamente em Grupo A (n=3), que realizou o tratamento da eletroterapia com a vitamina C e Grupo B (n=3), que realizou o tratamento com o ácido retinóico. Os tratamentos foram realizados semanalmente num período de 5 semanas. Através das fotos dos indivíduos, foi observada grande melhora na redução e na coloração das estrias nos indivíduos do Grupo A, o que não ocorreu no Grupo B. Quanto ao nível de satisfação, os indivíduos pertencentes ao Grupo A relataram estar satisfeitos com o resultado do tratamento, aumentando assim sua autoestima. Já no Grupo B, o mesmo não ocorreu, pois a maioria dos indivíduos não ficou satisfeita com o resultado do tratamento. Concluiu-se que a eletroterapia com o uso da vitamina C mostrou-se mais uniforme e com tecido menos marcado pelas lesões causadas pelas estrias, proporcionando uma melhora na coloração da pele e um aumento da resposta inflamatória com lesão mínima de tecido.

ABSTRACT
The emphasis on physical appearance, especially by the media, is evident for the current days, thus leading to an endless search for perfect bodies. The ideal of a lean body and beautiful in the aesthetic point of view is not always achieved, and this leads many people to great discomfort and is continually seeking treatment. Large investments in physiotherapy are proposed in the field of electrotherapy with modern appliances and effective. The grooves are undesirable skin changes, defined as visible linear scars which have parallel each other and may be few or numerous and indicate a break in the skin, as there is an imbalance elastic located. There is evidence that its appearance is multifactorial, not only mechanical and endocrine factors, but genetic predisposition and family. The highest incidence occurs in females aged between 12 and 14 years, and boys of 12 and 15 years. In this sense the present study was to evaluate the effect of electrotherapy with vitamin C and retinoic acid in reducing the linear scars of stretch marks. 3 Tratamento de Estrias We selected 6 female subjects, aged between 16 and 30 years, white stripes and patients in the region of breeches. Participants were randomly divided into Group A (n = 3), which held the electrotherapy treatment with vitamin C and Group B (n = 3), who carried out the treatment with retinoic acid. Treatments were performed weekly over a period of 5 weeks. Through pictures of individuals, has noticed a great improvement in the reduction and color of stretch marks in subjects of Group A, which did not occur in Group B. The level of satisfaction, individuals belonging to Group A reported being satisfied with the outcome of treatment, thereby increasing their selfesteem. In Group B, the same did not happen, because most people were not satisfied with the outcome of treatment. It was concluded that electrical stimulation with the use of vitamin C was more uniform and less tissue marked by injuries caused by the grooves, creating an improvement in skin color and increased inflammatory response with minimal tissue injury. 1.

INTRODUÇÃO
Os meios de divulgação, informação e de formação, estão constantemente em busca de produtos que possam acrescentar, ou, alterar para mais a performance do indivíduo, incluindo, neste contexto, a beleza. Apesar de se questionar que beleza não é sinônimo de qualidade de vida e vice e versa, procura-se, de modo em geral, unir estas duas questões. Porém, a cultuação à beleza, hoje, gera indiscriminantemente grande parte da economia, e, por conseguinte, vem alterar os conceitos, modificando o comportamento do indivíduo e, também, o emocional. A Fisioterapia, como área da saúde, não está isenta às questões do momento relativo à beleza. Grandes investimentos nesta área estão sendo feitos e propostos, além de tratamentos inéditos para se equiparar às demais áreas, como a medicina e a cosmetologia. Um dos grandes investimentos que a Fisioterapia propôs foi na área de eletroterapia com aparelhos modernos e efetivos. Estudos com relação às estrias em eletroterapia já foram realizados (1), porém não foram colocados em confronto com outros tratamentos que também são utilizados como a abrasão através de ácido retinóico. Logo, o mote este trabalho científico é a busca de resultados perante a equivalência de tratamentos. Coloca-se, também, que não foram encontrados estudos buscando essa equivalência. As literaturas são isoladas quanto aos dois tratamentos, seja a 4 Tratamento de Estrias publicação referente ao Striat, seja referente ao ácido retinóico. As estrias são alterações cutâneas indesejáveis, definidas como cicatrizes lineares visíveis que se dispõem paralelamente umas as outras, podendo ser raras ou numerosas e indicam uma lesão na pele, pois ocorre um desequilíbrio elástico localizado. Há evidências que o seu aparecimento seja multifatorial, não somente fatores mecânicos e endocrinológicos, mas também predisposição genética e familiar. (2,3) As estrias podem ser encontradas em ambos os sexos, mas com predominância no sexo feminino a partir da adolescência. Nas meninas, a maior incidência ocorre dos 12 aos 14 anos, e nos meninos entre os 12 e 15 anos. A mulher saudável apresenta 2,5 vezes mais chances de desenvolver estrias que o homem nas mesmas condições. (3) Há na literatura relatos quanto à utilização dos tratamentos, mas não há estudos que compare essa terapia. Este trabalho tem como objetivo geral verificar o efeito da eletroterapia com a vitamina C e do ácido retinóico na redução das cicatrizes lineares das estrias. Essa pesquisa tem como objetivo específico verificar a redução do número de estrias presentes em culotes femininos, comparando a eficácia dos dois tratamentos propostos. Em termos mais específicos, descrevem-se os efeitos quanto aos tratamentos propostos, comparam-se o efeito na redução das estrias e o nível de satisfação das pacientes quanto ao tratamento realizado. Material e métodos A população que fez parte deste trabalho de pesquisa foram indivíduos do sexo feminino, de cor branca, com idade entre 16 e 30 anos, que apresentavam estrias na região dos culotes. A amostragem foi tirada da população, constando de seis indivíduos da cidade de Tubarão do estado de Santa Catarina, as quais se interessaram em um recurso terapêutico para estrias e que possuíram os critérios de inclusão, isto é, possuíam estrias brancas na região do culote, que não fizessem uso de nenhum tipo de tratamento para estrias e medicamentoso. Foram eliminadas as mulheres que estiveram dentro dos critérios de exclusão, isto é, grávidas, mulheres alérgicas à corrente elétrica e a medicamentos, doenças de pele. Este trabalho foi aprovado pelo Comitê de Ética e Pesquisa, sendo o registro no CEP (código): 09.079.4.08.III A divulgação sobre o projeto de pesquisa foi realizada pelas pesquisadoras através de folders conforme 5 Tratamento de Estrias modelo anexado neste documento (apêndice A), os quais foram entregues em salas de aula desta Universidade, bem como nos demais apêndices do campo, por exemplo, Clínica Escola de Fisioterapia, Coordenações, Restaurantes Universitários, Biblioteca, etc. Outra medida de divulgação sobre o trabalho foi tomada fazendo-se a distribuição dos folders a conhecidos, amigos e outras pessoas interessadas sobre o mesmo. A amostra inicial constava de sete indivíduos, no entanto a amostra final consta de seis indivíduos em função da desistência de um indivíduo por situação de doença. Logo, da amostra final perfazem dois grupos de três indivíduos. Esta pesquisa trata-se de uma amostra aleatória, pois selecionaram-se dois grupos em que o primeiro é o de eletroterapia com aplicação de vitamina C e o segundo grupo com a aplicação do ácido retinoico, os quais sofreram sorteio para a composição de cada grupo. O sorteio referido procedeu-se da seguinte maneira: colocou-se o nome de cada participante do projeto em papéis separados e procedeu-se o devido sorteio, o primeiro participante sorteado foi para o grupo da eletroterapia e vitamina C e o segundo para o grupo do ácido retinoico, e assim sucessivamente até o término do grupo. Cada participante foi esclarecida quanto à sistemática do processo e teve de assinar o consentimento pós-informado (Anexo B), bem como o consentimento pós-informado para a realização e utilização de suas fotos, conforme anexo C. O tratamento foi administrado na Clínica Escola de Fisioterapia na Universidade do Sul de Santa Catarina – campus Tubarão – em dia e hora previamente determinados. No primeiro dia, aplicou-se uma ficha de avaliação contendo os dados pessoais das pacientes, a ficha clínica e a caracterização da patologia, a cada paciente, baseada em Guirro e Guirro (2), sendo esta adaptada pelas pesquisadoras. Também foi fotografado o local acometido pelas estrias, para que ao término do tratamento se pudesse comparar se obteve efetividade. Cada paciente foi fotografada com roupas íntimas em decúbito ventral, sem flash na máquina e com uma distância de 30 cm do culote. O tratamento a ser realizado, ocorreu da segunda à quarta sessão, sendo que na quinta as pacientes foram reavaliadas e fotografadas. Antes de cada sessão, realizava-se a limpeza local da pele com lenços higiênicos, e após, para assepsia utilizou-se algodão com Germi- Rio. Foi realizada uma sessão por semana, totalizando 5 sessões. O aparelho striat caracteriza-se por um gerador de corrente contínua 6 Tratamento de Estrias filtrada constante, apresentando dois eletrodos, um como placa e outro um ativo especial, o qual consiste de uma fina agulha sustentada por uma caneta. O processo de regeneração das estrias ocorreu pelos efeitos da corrente contínua associados aos processos envolvidos na inflamação aguda. O estímulo da agulha levou a um processo de reparação, restabelecendo, assim, de forma satisfatória, a integridade dos tecidos. É um método invasivo, porém superficial. Cada paciente teve agulha individualizada e guardada na Clínica Escola de Fisioterapia. A agulha foi penetrada sobre as estrias, ocorrendo efeito puramente subcutâneo, conforme figura 1. Figura1: Aplicação da eletroterapia. Cada paciente do grupo da eletroterapia recebeu um recipiente contendo 50ml de Vitamina C pura líquida (ácido ascórbico 10% solução tópica) para levar para sua casa, o qual foi aplicado dois dias após o tratamento com a corrente no local das estrias e assim consecutivamente até a realização da próxima sessão. Orientou-se a cada indivíduo do primeiro grupo para que utilizasse a aplicação da vitamina C à noite após limpeza da pele, uma vez que seria uma forma sistemática para o uso da mesma sem haver esquecimento. Quanto ao grupo do ácido retinoico, foi feito a sua aplicação nos indivíduos do segundo grupo pelas próprias pesquisadoras em dia e hora estabelecidas, seguindo a mesma sistemática do primeiro grupo, isto é, aplicabilidade uma vez por semana. Esclarece-se que o ácido retinoico aplicado contava de uma percentagem de 2% aplicado no local das estrias (culotes) com o auxílio de um pincel, cuja fórmula foi prescrita pelo Dr. Luís Saulo Cunha. (Figura 2) Figura 2: Aplicação do ácido retinóico. Após os tratamentos propostos, cada grupo recebeu um questionário criado pelas pesquisadoras para verificar o nível de satisfação. 7 Tratamento de Estrias Os dados coletados foram compilados numa tabela do Microsoft Office Word estruturada pelas pesquisadoras a fim de serem analisados. Os dados da tabela (Tabela 1) foram então analisados e as conclusões obtidas relatadas no capítulo referente às discussões e resultados. Resultados e discussão De acordo com Guirro e Guirro (2004), as estrias atróficas são encontradas em ambos os sexos, com predominância no feminino, principalmente a partir da adolescência. Na mulher adulta saudável, a incidência de estrias é de 2,5 vezes mais frequente que no homem nas mesmas condições. (3) A causa do surgimento das estrias nas pacientes selecionadas houve predominância no período da adolescência, como mostra o gráfico 1. 0 1 2 3 4 5 6 7 8 Colunas2 Gráfico 1 – Etiologia das estrias. De acordo com Kede e Sabatovich (2004), as causas mais comuns para a formação de estrias são: obesidade, gravidez e puberdade (quando ocorre grande estiramento). (4) Quanto aos resultados obtidos, Tsuji (1993) apud Veridiana Biscaro Bonetti, (2007), explica que a cor, normalmente, é caracterizada de acordo com o período de instauração: quanto mais avermelhada, mais recente; e quanto mais esbranquiçada, mais antiga. Guirro e Guirro (2004) afirmam também que as estrias são denominadas na fase inicial de rubras (striae rubrae). Na fase seguinte, onde o processo de formação já está praticamente estabelecido, as lesões tornam-se esbranquiçadas, quase nacaradas, sendo denominadas nessa fase de estria Alba (striae albae). (4) Após o levantamento de dados bibliográficos, procedeu-se ao início da coleta quando foram avaliadas sete pacientes do sexo feminino, e tratadas seis, com idades entre 16 a 30 anos. Do material coletado, foram efetuadas fotos para a análise da fissura e da coloração das estrias, dado objetivo como forma comparativa, e, assim, podendo acompanhar a evolução do tratamento. Na avaliação objetiva das pesquisadoras, inicialmente foram observadas alterações no aspecto da pele, 8 Tratamento de Estrias região estriada, junto ao grupo dos indivíduos da terapia combinada, isto é, a aplicação da eletroterapia e, após uso da vitamina C, protocolo aderido a partir da 1ª sessão. Logo, há de se esclarecer que houve uma melhora tanto na fissura quanto no aspecto de pele, durante todo o processo. Já, no grupo do ácido retinoico, as pacientes não apresentaram alterações objetivas referentes aos quesitos citados acima, isto é, no aspecto da pele e nas fissuras, ou seja, na região estriada seja no início do tratamento, seja ao final do tratamento. Tal situações, isto é, a falta de alterações nos indivíduos que usufruíram do ácido retinoico, foram também notados pelos mesmos indivíduos que compuseram a pesquisa. Durante o tratamento da eletroterapia combinada com a vitamina C, percebeu-se que o aspecto da pele estriada tratada obteve uma coloração muito próxima da coloração da pele local, o que permitiu a visibilidade de estrias menores, as quais não foram selecionadas para serem tratadas, e que antes do tratamento passavam despercebidas. No entanto, quando tratou-se as estrias grandes, e estas tornou-se mais invisíveis, permitiu que as estrias rejeitadas tornasse visíveis,dando uma uniformidade em toda região. Conforme procedimento já esclarecido, foram realizadas 5 sessões para as devidas aplicações, em que cada aplicação ocorreu semanal com um intervalo de 7 dias cada, sendo que constando da primeira sessão a anamnese sobre o quadro da paciente, tornando-se consecutivas as demais sessões para o tratamento. A reavaliação de todo o processo foi realizada após a todas as sessões. Segundo o relato das pacientes tratadas com a eletroterapia, acrescentando-se que houve um aumento significativo da sensibilidade durante a aplicação do mesmo. Os resultados obtidos com esse estudo indicam que houve superioridade de um método em relação ao outro. A tabela apresentada a seguir indica os resultados obtidos nos dois grupos após a aplicação do questionário denominado “Nível de Satisfação dos Indivíduos Portadores de Estrias”. A partir dos dados da tabela 1 é possível perceber que o grupo submetido à eletroterapia e vitamina C apresenta uma 9 Tratamento de Estrias opinião unânime em relação aos benefícios do procedimento, o que já não ocorre com o grupo submetido ao ácido retinóico, onde se percebe evidente disparidade de opiniões em todos os quatro requisitos. Conclusão Por ser a Fisioterapia Dermato-Funcional uma área de atuação muito recente, conseqüentemente a pesquisa também o é, o que abre caminhos para que os profissionais nesta especialidade venham a desenvolver mais pesquisa. Ratifica-se os dados colhidos na literatura científica, a qual nos coloca diversos recursos para serem utilizados na área da Dermato-Funcional. Na conclusão deste trabalho científico ficou demonstrado que o mote desta pesquisa obteve sucesso, isto é, a comparação entre os protocolos apresentam resultados significativos, porém diversos.

Referências
1 Braga PD, Molina M del CB, Cade NV. Expectativas de adolescentes em relação a mudanças no perfil nutricional. Ciência e Saúde Coletiva. [Internet]. 2007 Set/Out [citado 2008 Nov 5];12(5). Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci _arttext&pid=S141381232007000500019 &lng=pt&nrm=iso.
2 Ribeiro CJ. Cosmetologia aplicada a Dermoestética. São Paulo: Pharmabooks; 2006. Estrias; p.225-30.
3 Guirro ECO, Guirro RRJ. Fisioterapia Dermato-Funcional: fundamentos, recursos, patologias. 3ªed. rev. e ampl. Barueri: Manole; 2002. Estrias; 391-414.
4 Boneti VB. Incidência de estrias em acadêmicos da faculdade Assis Gurcacz, identificando a sua principal causa. [monografia]. Cascavel: Faculdade Assis Gurgacz – FAG; 2007 [citado 2009 Jun 02]. Disponível em: http://www.fag.edu.br/tcc/2007/Fisioterapia/incidencia_de_estrias_em_academicos_d a_faculdade_assis_gurgacz_identificando_ a_sua_principal_causa.pdf